Pé Diabético: Coisas que você precisa saber!

A circulação é comprometida quando se trata do pé diabético, mais da metade dos pacientes com idades acima de 60 anos apresentam o chamado “pé diabético”, mal esse que pode ser evitado.

Alterações essas na circulação podem causar neuropatia, úlceras, infecções, isquemia ou trombose, que acontecem quando as taxas de glicose permanecem altas durante vários anos, que se não tratado resulta em amputação. Dados do ministério da saúde mostram que 70% das cirurgias de retiradas de membros no país têm como causa o diabetes mal controlado: são 55 mil amputações anuais.

 

Por isso manter a taxa glicêmica sob controle é fundamental para evitar complicações.

– A pessoa que tem pé diabético sentem sintomas como: formigamentos, perda de sensibilidade, dores, queimação nos pés e nas pernas, sensação de agulhadas, dormência e também fraqueza nas pernas. Sintomas tendem a piorar ao dormir durante a noite, geralmente as pessoas afetadas só percebem no estágio avançado.

– Além do nível de glicemia controlado, exame visual dos pés é também recomendado.

– No exame visual dos pés que deverá ser diário, o paciente deve observar a existência de frieiras, cortes, calos, rachaduras, feridas ou alterações de cor.

– Os calçados indicados são os fechados, macios, confortáveis e com solas rígidas, que ofereçam firmeza. Mulheres devem prestar atenção a saltos quadrados que tenham no máximo, 3 cm de altura.

– Para lavar os pés, deve-se utilizar água morna e nunca quente. Mantenha a pele hidratada mas sem passar creme entre os dedos ou a redor das unhas.

 

 

Posted in:

Comentários no Facebook